Abóbora japonesa (cabotiá) assada!

Imagem

Essa foto ficou LINDA não ficou? 

Eu não sei vocês, mas eu sou loucamente apaixonada por cabotiá! Gosto refogada, no meio das receitas, kibe, sopa… e agora, ASSADA… e com ervas!!! ❤

E o melhor de tudo… é ultra mega master blaster fácil de fazer:

Ingredientes:

  • 1/2 abóbora japonesa (cabotiá)
  • Ervas aromáticas à gosto (aqui usei: orégano, coentro moído, cominho, pimenta-do-reino branca, chimichurry e galhinhos de alecrim)
  • sal à gosto

Modo de preparo: Corte a abóbora em fatias, retire as sementes, salpique sal e as ervas misturadas. Coloque alguns raminhos de alecrim por cima, para “soltar o aroma”. Cubra com papel alumínio, e leve ao forno por 30 minutos. Depois retire o papel e leve ao forno por mais 10 minutos.

Simples e cheiroso assim! 😉

Anúncios

Tomates recheados com creme de ricota!

Imagem Após um tempo no “relaxo”, a balança estagnou, e eu assustei! Estava mal acostumada, né? Ainda na fase que só a cirurgia, por si só se bastava… perdendo de 4 a 5 kg por mês. De repente pesei e … NADA!

Eu estava me “permitindo” um pouquinho por dia, e quando dei por mim, a rotina saudável tinha ido embora. Sem contar que andava comendo coisas que estavam me fazendo mal, tinha dumpings leves com cada vez mais frequência, estava FORA DE CONTROLE! 

Passou a fase inicial, e aquela sucessão de novidades e coisas boas foi cada vez mais se esvaindo entre meus dedos. Eu estava me entregando, deixando os problemas tomarem conta de mim, a tristeza e a preguiça cada vez mais presentes em minha vida… a ansiedade e o nervosismo mais uma vez sendo usados como desculpa para meu descontrole emocional e consequentemente minha fraqueza nutricional.

Até que ontem tive uma experiência HORROROSA, não sei nem explicar direito o que foi. Um misto de coisas, angústia, fraqueza, tremores, coração acelerado, choro… uma sensação de morte, uma coisa que jamais havia sentido em minha vida. Sério, eu realmente achei que fosse morrer… me enfiei debaixo do chuveiro, sentei, chorei, chorei, chorei… e aos poucos foi passando, fui melhorando, fui retomando os sentidos… e o SENTIDO! 

Encarei como um sinal, um aviso, alguma coisa me dizendo que estava na hora de voltar nos eixos, retomar a força e seguir em frente…

Voltei ao começo do blog, li tudo novamente, todas as minhas experiências, todos os meus conselhos, toda a minha expectativa… e OPA! O que eu estava fazendo? Estava deixando a negatividade tomar conta de mim!!

É hora de levantar! Mostrar que sou mais forte que todos os problemas… chega de chororô! Bora enfrentar a vida? Bora batalhar pelo que realmente se quer? Auto-piedade não resolve problemas! Vamos arregaçar as mangas!

Então, cá estamos! Celebrando esse retorno com duas receitinhas PERFEITAS para uma refeição especial!!!

Comecemos com o tomatinho rechado:

ImagemIngredientes:

  • 6 tomates médios, firmes e maduros
  • 1/2 pecinha de ricota amassada
  • 3 colheres de sopa de azeitonas verdes
  • 1/2 cenoura ralada
  • 1/2 potinho de iogurte desnatado (uso o Paulista)
  • 2 colheres de sopa de nozes trituradas
  • cheiro verde à gosto
  • sal

Modo de preparo: Primeiramente corte a “tampa” do tomate, e com a ajuda de uma colher, retire toda a polpa e as sementes. Passe sal na parte de dentro do tomate e deixe virado com a parte aberta para baixo, por uns 15 minutos, para que toda a “àgua” escorra de dentro. Enquanto isso, prepare o recheio, misturando todos os outros ingredientes. Depois é só rechear os tomates e levar ao forno por 20 a 30 minutos, até que você perceba que o tomate já está macio. Aí é só enfeitar com folhinhas de manjericão e servir. 

Bom apetite! 😉

 

Desabafo…

Imagem

Não, esse não vai ser um texto de motivação. Não vai ser um texto de superação. Muito menos um texto positivo.

Mas vai ser um texto sincero. Um desabafo. Um espelho de vida real. Uma pequena demonstração de que nem tudo são flores, nem só de alegrias vive o homem…

Talvez até seja um pouco de “super-exposição”. Eu poderia me preservar e deixar todo mundo achando que minha vida é só um mar de rosas. 

Mas não é justo! Porque não é! 

Desde a cirurgia tenho tido muitas conquistas, muitas vitórias, muitas alegrias… tenho sim, sido muito muito feliz, e sou infinitamente grata por tudo que tenho alcançado desde então…

Mas não, hoje não estou me sentindo assim! Não me sinto vitoriosa, não me sinto feliz… as últimas semanas têm sido um misto infinitamente insuportável de altos e baixos. Um ciclo bipolar sem fim!

Sabe quando você se sente sozinha? Do pior tipo de solidão? Daquele que te faz olhar em volta, rodeada de pessoas lindas e queridas, e mesmo assim sentir um vazio “impreenchível”??

Nem sei direito o motivo… um misto de coisas que se olhadas de fora parecerão frescura de menina mimada. Ingratidão de uma chata reclamona. Fraqueza, covardia. Mas pra mim, aqui, do meu mundinho, tá f#%@.

Aquela ansiedade insuportável que eu não sentia desde antes da cirurgia. 

Parece que não tenho mais tempo pra nada. Não consigo mais me planejar. Não consigo mais programar meus compromissos. Muito menos cumpri-los. Minha alimentação está uma bagunça. Só vontade de comer porcaria. O blog, abandonado. Cozinhar??!! Que horas?!

A ajudante faltando, me deixando na mão. Quando começo a me planejar, a tentar colocar as coisas no eixo, ela falta, e me bagunça toda de novo. Meu filho precisando cada vez mais da minha atenção. O marido, trabalhando tanto quanto eu. A situação financeira, fugindo do controle. Tive que abandonar a academia, e por pouco, muito pouco MESMO, não tirei o Otto do colégio.

Minha perna, não me deixa esquecê-la nem por um segundo sequer. É uma dor constante… ininterrupta, INSUPORTÁVEL. E que vou ter que esperar passar o calor para poder resolver.  Estava usando as meias elásticas, o que estava ajudando a amenizar um pouco as dores. Mas pra ajudar, eu, que nunca tive alergia de absolutamente NADA, resolvi desenvolver uma alergia horrorosa à elastano.

Chego em casa, pensando em fazer várias coisas, querendo organizar minha mudança, pois até agora tenho caixas para organizar, fazer uma comidinha diferente, uma receitinha nova. Quero fazer posts novos no blog, tirar fotos, cuidar de mim, do meu corpo e da minha mente…. e não tenho FORÇAS. Primeiro porque a perna dói demais, demais mesmo, e só consigo pensar em deixá-la pra cima. E depois porque me bate um cansaço mental tão grande, que me abate, me derruba, não me deixa fazer mais nada a não ser deitar.

E aí me sinto frustrada, e isso me deixa tremendamente irritada comigo mesma, e isso transborda, e acabo descontando em todos que estão em minha volta…. um stress sem limites!!

E é nesse ciclo sem fim que ando me sentindo uma inútil, uma impotente.

Tanta gente por aí com jornada dupla de trabalho. Com tantos problemas maiores de saúde, ou que não tem uma família linda como a minha pra dar suporte.

E eu aqui, me lamentando… achando tudo uma tremenda merda.

Só queria conseguir fazer meu corpo e minha mente entrarem nessa sincronia…. ou sintonia.

Só queria poder fazer minha comidinhas, minha paixão!!!

Queria ter tempo, coragem e dinheiro pra correr atrás do que está faltando…

Mas não…. só consigo sentar aqui e me lamentar. Estou me sentindo uma fraca, uma covarde.

Não é um pedido de socorro, muito menos auto piedade.

É apenas um desabafo.

Podia ter conversado com alguém… minha mãe, minha irmã, uma amiga….. mas sabe quando você fica se sentindo chata? Sabe quando você acha que só vai atrapalhar, ou pior, afastar as pessoas de você por estar sendo tão negativa? É isso… junto com um pouco de preguiça de dialogar. De argumentar, de tentar fazer-me entender.

Quero apenas desabafar…. 

Desculpem pela lamentação. Desculpem pela negatividade. Desculpem pela chatice, pela morbidez.

Vai passar, eu sei que vai…. tudo vai dar certo, tudo vai voltar ao normal.

Mas por hoje, só por hoje, quero me sentir assim, triste, vazia, sem forças…. 

Amanhã é um outro dia, uma nova esperança, um novo motivo pra levantar e lutar. Colocar tudo nos eixos e seguir em frente.

Mas me deixem hoje….

Só hoje, não quero fingir que está tudo bem…